Brave or Fool? It's your choice!

Posts Tagged ‘morte

R.I.P.

Posted on: 26/10/2012


Há quase 40 anos, um rapaz, que viria a ser meu pai, descobriu enfim o que era ter uma mãe, experiência da qual até então ele havia sido privado. Pouquíssimas coisas nesta vida são unanimidade, uma delas é que não existe melhor acalento que o amor de mãe.
Por motivos que não cabem a mim julgá-los, a mãe biológica do meu pai abandonou ele e os irmãos com meu avô, quando todos ainda eram crianças. Alguns poucos anos depois, meu pai conheceu o Mario e se tornaram grandes amigos. E não precisou de muitos dias para que a mãe do Mario, a VÓ Maria, acolhesse de braços e coração abertos o meu pai como seu filho.
Não quer dizer que ela tenho o adotado, nem que meu pai deixou de morar com meu avô, mas a Maria solidária e amorosamente deu ao meu pai tudo que dava aos seus filhos, Mario e Silvia. Amor, colo, bronca, conselhos, carinho, reconforto, porto-seguro…
Em nenhum momento ela titubeou deste papel que escolheu cumprir. E é por isto que desde que me conheço por gente eu recebo dela o amor e dedicação de uma avó. Nunca teve um aniversário meu que ela não tenha me ligado, um Natal que ela  tenha deixado de me dar um presente, ou um abraço que ela tenha me dado que não tivesse vindo acompanhado de conselhos e de um “te amo” tão sincero que me fazia sorrir só de ouvi-lo. O abraço dela era forte, era caloroso, era verdadeiro…ai, como irei sentir falta dele!
Há algumas semanas meus pais foram visitá-la no hospital, minha mãe me contou que quando a enfermeira entrou no quarto, a vó apresentou meu pai à ela: – Este é meu outro filho.
A enfermeira falou: -Não! Mas ele é moreno, os outros são tão clarinhos!
Aí a vó falou: – Que diferença faz? Ele é meu filho, como os outros dois.
Ontem, 25 de outubro de 2012, meu pai completou 53 anos, e pela primeira vez, o telefone não tocou pela manhã com a ligação dela.
Por uma destas ironias do destino, a vó foi para o outro plano no mesmo dia em que meu pai celebrava mais um ano de vida. E como eu não acredito em coincidências, eu sei que a data escolhida não foi por acaso. Foi para que todo ano quando meu pai estiver comemorando mais um aniversário, ele se lembre que em algum lugar deste mundo tem alguém que o ama incondicionalmente. Que a vida deu a eles a chance de se escolherem. E eles não deixaram esta oportunidade escapar. Disseram sim à vida e ao amor.
Vá tranquila, que os espíritos de luz a conduza para um belo lugar.Sua missão nesta vida foi cumprida com louvor, minha querida! Nos reencontramos em breve. Me aguarde com uma xícara daquele seu café amargo que a gente enchia o saco mas não podia faltar em nossas visitas.
Saudades e amor eterno!

Anúncios

Laudicéia

Posted on: 24/02/2011


Ela não gostava de meio-termo. Era intensa e sabia muito bem o perigo que isto significava, sentimentos e momentos intensos acabavam rapidamente. Mas gostava de viver a vida assim, com altos e baixos, beijos e gritos, amor e ódio. Gostava de sentir o sangue pulsando em suas veias fosse por raiva ou tesão.
E quando precisava encontrar o meio termo, ela se perdia, ela enlouquecia…Não sabia simplesmente ter por alguém um sentimento vago, frio, formal, ela tinha que gostar ou desprezar.
Ela achava que esse era o jeito certo de viver a vida, afinal tava ali na bíblia, escrito na carta de Laudicéia: seja quente ou seja frio, não seja morno que eu te vomito.
E foi nisso que ela acreditou até o último dia de sua vida. Viveu intensamente e teve uma morte teatral e dolorosa.


Pri Bella

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 1.090 outros seguidores

@pribella

Dias de inspiração

outubro 2017
S T Q Q S S D
« maio    
 1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031  

Os favoritos da galera

  • Nenhum
%d blogueiros gostam disto: