Brave or Fool? It's your choice!

Archive for maio 2013


Houve um tempo que a escritora Tati Bernardi falava por mim. E numa destas vezes que compartilhei uma frase dela no Facebook, uma amiga disse que as pessoas não deveriam ficar felizes em se identificarem com a Tati, que os textos dela são deprê, e se havia uma identificação, é porque estávamos com a vida mal resolvida.

Confesso que na hora fiquei puta. Achei desnecessário ela me falar isto, e achei que não tinha a ver. Isto porque, como diz a frase do título do post (extraída do texto The Perks of Being a Wallflower) eu estava aceitando o amor que eu achava que merecia.

Ficava com migalhas, e achava lindo dizer que eu era “intensa, que adorava curtir uma tristeza e chorar de dor”. Bullshit!
Personalidade a gente não muda. Eu continuo, obviamente, sendo uma pessoa intensa, mas agora eu tenha a serenidade de um amor de verdade para acalmar este furacão de emoções.

Por diversas vezes eu me perguntei o porquê nunca consegui escrever nada para e/ou inspirado no meu verdadeiro amor, para o meu Douglas, uma vez que todos os caras por quem fui apaixonada renderam textos.

Foi então que compreendi porque admiro tanto a Tati Bernardi (sim, continuo achando ela foda!) porque assim como ela, minhas inspirações vinham de amores mal resolvidos, de momentos de tristeza. Sou uma (aspirante a) escritora de fossa! L

Sumi daqui. Parei de escrever, sim. Sei lá, poderia escrever outras coisas. Me inspirar na Clarice, no Vinícius, no Chico… E aí me pergunto mais uma vez, por quê? Por que não sento mais com o notebook no colo, no silêncio do meu quarto, e não começo a teclar meia dúzia de palavras que irão resultar em qualquer porcaria incompleta como já fiz muito por aqui?

E depois de muito pensar, eu chego a seguinte conclusão: tem uma frase que roda por aí que atribuem à Clarice Lispector. Não sei se é dela mesmo. Mas ela sana a minha dúvida: “Não tenho tempo pra mais nada, ser feliz me consome muito”.

O dia em que esta “frase de efeito que postam no Facebook” passar a fazer sentido na sua vida, parabéns, a Tati Bernardi que tinha em você descansa em paz.

Tenho certeza que muita gente não vai chegar até o final do texto. As histórias de dor de cotovelo são muito mais instigantes. E infelizmente, as pessoas se identificam mais com elas.
Mas enfim, o amor de verdade é isto: sereno, tranquilo, a gente não tem pressa de pular para o final porque a gente sabe que tem a vida toda para estar ao lado daquela pessoa. Sem precisar que ninguém diga nada, a gente apenas sente quando ele chega. A gente sente que “é ele”.

Nota: À você, Douglas Batetucci, que nunca me pediu, mas eu sempre achei injusto não escrever nada para você.
Obrigada por aparecer na minha vida, por trazer o equilíbrio canceriano que eu precisava. Obrigada por me permitir viver um sentimento real, um amor puro, nobre, altruísta e que poucos têm a sorte de encontrar alguém disposto a compartilhar. E, obrigada, especialmente, por me mostrar que eu merecia muito mais do que eu estava aceitando. Que mereço este amor que você me dá, que me cobre da cabeça aos pés!

Eu amo você.

Imagem


Pri Bella

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 1.090 outros seguidores

@pribella

Dias de inspiração

maio 2013
S T Q Q S S D
« jan    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Os favoritos da galera

  • Nenhum
%d blogueiros gostam disto: